Você sabia  que a humanidade está correndo sérios riscos de extinção por causa de um pequeno inseto de extrema importância para nossa sobrevivencia? Não? Pois estamos sim!, e poucas pessoas estão sendo informadas tanto pela mídia mundial, quanto por governos capitalistas, que pouco se importam com esse tema que tem alarmado muitos pesquisadores e cientistas pelo que está por vir, vamos para explicação.

Antes deve se entender o que significa polinização, veja a foto a baixo.

IMG_4226

A queda drástica  nas populações do inseto (abelhas) foi batizado de colony collapse disorder (síndrome do colapso da colônia, CCD) simplesmente elas abandonam as colmeias e desaparecem muitas vezes sem vestígios, isso  provavelmente ocorre por fatores naturais e pela ação humana, por meio da destruição do ambiente das abelhas selvagens e do uso massivo de agrotóxicos e agroquímicos. No Reino Unido, por exemplo, o número de abelhas equivale a apenas 25% do necessário para a polinização. Segundo a doutora Maria Caldas Pinto, do Centro de Ciências Humanas e Agrárias da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), essa situação tende a se agravar.

IMG_4220

O US Fish and Wildlife Service (FWS), que funciona como o Ibama dos Estados Unidos, incluiu sete espécies de abelha na lista de animais em extinção. Só não dá para cravar um prazo para o desaparecimento completo – nosso e delas. “Dizer que ocorreria em uma determinada quantidade de anos é taxativo, mas, se não preservarmos os meios ambientes para mantermos os insetos, a previsão vai se cumprir.

Polinizadores naturais em risco de extinção são ameaça à vida do ser humano.
Colmeias exterminadas por agrotóxicos são um problema mundial. No Brasil, há registros de desaparecimento em todo país de norte a sul, apicultores alarmados sem saber o que fazer.

IMG_4228

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) está investigando o extermínio de abelhas por intoxicação por agrotóxicos mais precisamente em colmeias de São Paulo e Minas Gerais. Os estudos com inseticidas do tipo neonicotinóides possivelmente um fator preponderante. Trata-se de um problema de escala mundial, presente inclusive em países do chamado primeiro mundo, trazendo como conseqüência grave ameaça na produção de alimentos (frutas, verduras, legumes e mel) em todo Planeta.

IMG_4221
Sem as abelhas o Planeta entraria em guerra pela falta de alimentos

De acordo com o coordenador geral de Avaliação e Controle de Substâncias Químicas e Produtos Perigosos do Ibama, Márcio Freitas, o órgão está reavaliando, desde 2010, vários produtos suspeitos de causar colapsos e distúrbios em todo Brasil, Segundo Freitas, que integra o Comitê de Assessoramento da Iniciativa Brasileira para Conservação e Uso Sustentável dos Polinizadores, a intoxicação prejudica a comunicação entre as abelhas e isto impede que elas retornem às colmeias, levando ao extermínio dos enxames.

A importância 
A vida das abelhas é crucial para o planeta e para o equilíbrio dos ecossistemas, já que, na busca do pólen, sua refeição, estes insetos polinizam plantações de frutas, legumes e grãos. Esta polinização é indispensável, pois é através dela que cerca de 80% das plantas se reproduzem. Como alertava Einstein “se as abelhas desaparecerem da face da Terra, a humanidade terá apenas mais quatro anos de existência. Sem abelhas não há polinização, não há reprodução da flora, sem flora não há animais, sem animais, não haverá raça humana.

IMG_4224

Albert Einstein (14 de março de 1879 – 18 de abril de 1955) foi um físico alemão conhecido por sua Teoria de Relatividade. Albert Einstein ganhou o Prêmio Nobel da Física de 1921.

Em 2008 uma pesquisa realizada pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos e observadores de apiários revelou que 36% das 2,4 milhões de colmeias desapareceram ou pereceram.

IMG_4229

Esta catástrofe afeta as colônias de abelhas nos Estados Unidos desde os anos 1980, mas se intensificou nos últimos anos. Nos Estados Unidos até 60% das abelhas teriam sumido na Califórnia, e mais de 70% em algumas regiões da costa leste e no Texas no inverno de 2006/2007. Esta dizimação em massa de populações de abelhas está ocorrendo em diversos países e em escala mundial, algumas regiões da Europa foi registrado o sumiço de até 80% da população de abelhas.

IMG_4225

No Brasil em algumas regiões o desaparecimento chega a 80%, já começa a prejudicar a floração de diversas frutas e legumes pela falta de polinizacao, em Santa Catarina por exemplo o  maior produtor de maçãs no país, a produção está seriamente afetada,  pois mais 90% da produção depende diretamente da polinizacao das abelhas, é usado 100 mil comeias, muitos apicultores relatam o sumiço de 50% das comédias simplesmente elas a abandonam e somem sem vestígios.

IMG_4218
A Polinização, observe como ela transporta o pólen

Assim, as abelhas afetam a nossa vida diariamente sem que nós nos apercebamos disso. A nível alimentar, aproximadamente dois terços dos alimentos que ingerimos são produzidos com a ajuda da polinização das abelhas. A utilização excessiva de pesticidas ou agrotóxicos destinados a matar alguns animais que afetam a agricultura, tem vindo, igualmente, a matar abelhas. De forma semelhante, outros químicos, utilizados para promover um maior crescimento das plantas, prejudicam a polinização, colocando em risco o próprio ecossistema.

IMG_4216

IMG_4217

Ainda há tempo para reagirmos a este alerta? Antes de tudo o mundo tem que mudar, e a palavra é Preservação, vivemos em um planeta frágil, susceptivel a intempéries, e a cada ação que o enflingimos a essa minúscula bola de pedra, uma reação é devolvida, vivemos no nosso sistema Solar isolados, único a propiciar as condições favoráveis  para o surgimento e manutenção da vida para humanos e animais, já existe comprovação científica da existência de milhares de planetas parecidos com a nossa Terra, mas infelizmente estão em distâncias astronômicas,  impossíveis de ser alcançados com a nossa atual tecnologia pelo menos em cem anos ou mais, então nos resta é cuidar do nosso planeta, não interferir no curso natural, simplesmente  cuidar dele, amá-lo como um filho.