O Presidente da Rússia Vladmir Putin, colocou em cheque o equilíbrio entre as  potências  militares da Terra ( EUA, China) ao anunciar o desenvolvimentos teste de um míssil balístico intercontinental  invencível, tornando obsoleto o sistema de defesa de anti-mísseis de todos países da Terra.

Em um discurso anual sobre o estado da nação para a Assembleia Federal Russa, revelou um novo míssil de cruzeiro alimentado por reações nucleares e capacitado com armas nucleares supostamente capaz de voar indefinidamente e atacar qualquer ponto da superfície terrestre.

A arma parece tão fantástica que alguns especialistas mal acreditaram nos seus relatórios iniciais.

F7E8358A-2D47-4253-B9BD-14075C0D0F0E

Além disso, algumas das tecnologias envolvem:

Bola de fogo hipersônica” e armas com raio laser.

Pela descrição, alguns dos armamentos anunciados pelo presidente da Rússia, Vladimir Putin, parecem ter sido retirados de “Star Wars” ou de outro filme de ficção científica.

De acordo com as declarações de Putin, o míssil foi testado no final de 2017, provando a capacidade de seu motor de energia nuclear.

Raros filmes de testes nucleares são disponibilizados no YouTube
Durante seu discurso, um vídeo foi exibido de um míssil de cruzeiro sendo lançado ao céu, seguido de uma animação destinada a indicar como a arma poderia esquivar obstáculos de terreno e voar por milhares de quilômetros, desviando da América do Sul em direção à Costa Oeste dos Estados Unidos.

“Eu ainda estou meio chocado”, disse Edward Geist, pesquisador da Rand Corporation especializado na Rússia. “O que eu acho é que eles não estão blefando, que eles testaram essa coisa. Mas isso é incrível”.

Propulsão por reação nuclear
Propulsão nuclear já é usada em grandes navios, como porta-aviões e submarinos. Ela permite que os veículos funcionem durante anos sem reabastecimento, ampliando drasticamente seu alcance e resistência.

Declaração

BC8AB7A1-5CC4-4109-B88B-3863C8C7DD8F

Em discurso ao parlamento russo, o presidente disse que as armas foram criadas em resposta ao sistema de defesa com mísseis dos Estados Unidos.

Antes de termos armas, ninguém nos escutava. Que nos escutem agora”, afirmou.
Ele só apresentou seis tipos de armamentos, mas garantiu que a lista é maior. “Ninguém no mundo tem algo igual, por enquanto. É algo fantástico”, disse, em um discurso que fez lembrar os anos mais controversos da Guerra Fria.
Mas, até agora, o governo russo não mostrou provas da existência dessas armas e, até o momento, nenhuma fonte independente confirmou a existência e potência delas.

A Ameaça 

Nos primeiros dias da Guerra Fria, tanto os EUA quanto a União Soviética pesquisaram como construir aeronaves abastecidas por energia nuclear. Ambas as nações tentaram instalar um reator nuclear em um bombardeiro, mas tais reatores eram pesados e expunham as equipes à risco de radiação. Logo, ambas desistiram da ideia.

Os EUA chegaram a investigar a ideia de um míssil de energia nuclear, destinado a voar de forma autônoma e soltar bombas nucleares. O reator nuclear que o mantinha em alta velocidade também emitia escape radioativo, mas isso já não era um problema – era um benefício adicional por poluir o campo soviético.

Os EUA chegaram a construir um motor nuclear para o Projeto Plutão, testado várias vezes no início da década de 1960. Nesse ponto, porém, os perigos de uma guerra nuclear já estavam muito claros e os tratados de controle de armas estavam entrando em vigor, de maneira que  a ONU proíbe armas nucleares em todo o mundo.

E o novo míssil russo?
O tipo de reator usado no Projeto Plutão funcionava bem, mas expunha o combustível nuclear diretamente ao ar exterior.
Geist acredita que o novo míssil russo use um sistema diferente que mantenha o combustível um pouco isolado. Mas isso não o torna seguro.

Ele suspeita que o design russo envolva o que é conhecido como “reator rápido”, que é mais eficiente, mas também menos protegido do que a maioria dos reatores nucleares. Se o míssil quebrar ou o reator falhar, certamente provocaria um grande acidente.

Reator de fusão termonuclear de mais de 20 bilhões de dólares já está a meio caminho da conclusão.

Por que a Rússia está investindo nisso?
O novo míssil de cruzeiro é apenas um dos vários sistemas bélicos que Putin mencionou em seu discurso na quinta-feira. O presidente russo também discutiu armas “hipersônicas” que poderiam se esquivar de mísseis defensivos e um torpedo subaquático de energia nuclear.

O valor estratégico de todas essas novas armas nucleares é bastante questionável. “A Rússia, mesmo sem essas armas, tem a capacidade de reduzir os EUA a uma pilha de fuligem radioativa”, explicou James Acton, especialista em energia nuclear da Carnegie Endowment for International Peace.

Acton acredita que o novo míssil é projetado para enviar uma mensagem de que a Rússia é um país forte e tecnologicamente capaz. Além disso, Putin pode estar preocupado com o desenvolvimento dos mísseis de defesa americanos.

Enquanto as autoridades americanas dizem que seu sistema é projetado principalmente para proteger o país de um ataque limitado da Coréia do Norte, os russos acreditam que poderia ser usado contra eles também. “Eles pensam que nossos mísseis de defesa são muito mais eficazes do que nós pensamos que eles são”, sugeriu Acton.

Enquanto isso em Washington DC…
O presidente americano Donald Trump já havia solicitado um orçamento de US$ 12,9 bilhões para programas de defesa antimíssil no próximo ano. Esse dinheiro deve ir para novos radares e interceptores adicionais.

Os especialistas esperam que as provocações russas continuem. “Eles estão nos enviando uma mensagem de que não estão de acordo com nossa postura de defesa”, disse Geist. [NPR].

Armas Russas

1. Sarmat: Sistema pesado de mísseis intercontinentais

6642F2E5-58F6-45F4-BA79-D55BA1FEE76F

Sarmat, RS-28 Sarmat ou Satã 2 é um míssil balístico intercontinental russo de combustível líquido, capaz de transportar de 10 a 15 ogivas de MIRV termonucleares com um poder de destruição estimado em 3 megatons cada, ainda em desenvolvimento, elaborado para substituir o antigo míssil R-36M Voevoda.[1] Tem alcance de 11000 quilômetros e é capaz de destruir uma área do tamanho da França.[2]De acordo com especialistas seria capaz de passar por qualquer sistema antimíssil. Possui um peso total de 100 toneladas com capacidade de carga para 4 a 10 toneladas e velocidade de voo de 7 km/s, ou 25 200 km/h.

2. Míssil de cruzeiro com propulsor nuclear ‘de alcance ilimitado

96A3AD47-1C05-4F97-8008-F5094782CEB0
Segundo Putin, se trata de um novo tipo de arma estratégica que não usa rotas de voos balísticos em seu trajeto até o objetivo, o que significa que os sistemas de defesa antimísseis são ineficazes para contê-los.

Ele explicou que se trata de um míssil de cruzeiro similar ao KH-101 ou o Tomahawk norte-americano, mas que possui uma planta nuclear “superpoderosa” de pequeno porte.

Segundo Putin, as novas armas são ‘invencíveis’- não podem ser detectadas por sistemas antimísseis
De acordo com Putin, esse míssil tem alcance de voo “ilimitado” e uma trajetória de voo “imprevisível”. Também neste caso, o presidente russo garantiu que a arma não pode ser interceptada “por todos os sistemas existentes e futuros de defesa antimísseis e defesa aérea”.

O comandante das Forças Armadas russas afirmou que o país testou pela última vez este míssil no final de 2017, com resultados positivos.

 

 

3. Veículos subaquáticos não tripulados com propulsão nuclear

F27797A3-93D8-47D3-AAA7-D3E374C7C9A2

Além dos armamentos terrestres e aéreos, Putin mencionou veículos para serem usados no mar.

“Posso dizer que desenvolvemos veículos subaquáticos não tripulados que podem operar em grandes profundidades, com alcance intercontinental e uma velocidade muito maior que a dos submarinos ou qualquer tipo de embarcação de superfície, inclusive as mais rápidas”, afirmou.

De acordo com o presidente russo, esses veículos são silenciosos, de fácil maneabilidade e e invulneráveis.

4. Kinzhal: Sistema de mísseis hipersônicos de lançamento aéreo

35539F3D-A3CE-4AA5-BDE2-D6D500A4571D

O presidente russo não apresentou provas de que os armamentos, de fato, existam
Kinzhal foi a denominação que Putin usou para a nova “arma hipersônica” russa.

Segundo o presidente, é uma plataforma de lançamento aéreo hipersônico de alta precisão, e sua velocidade a torna “invulnerável” às defesas antiaéreas existentes.

Ele também informou que o sistema se encontra desde dezembro em “serviço de combate experimental” nos aeródromos do Distrito Militar do Sul.

Entre outras características ele destacou seu alto rendimento, alcance de mais de 2 mil km e grande velocidade.

5 – Sistema de mísseis estratégicos com unidade hipersônica de planejamento

02E2BA43-05F2-49DF-8DD1-FF6A58B1643F

Segundo o presidente, se trata de um tipo completamente novo de arma. Ele ainda fala que o fator que diferencia essa armas das outra é a capacidade de voar na atmosfera por distâncias intercontinental em velocidades hipersônica de mais de 24,5 mil Km/h. Seria ainda capaz de fazer manobras laterais e verticais, o que a tornaria “invulnerável” a todos os sistemas antimísseis, segundo Putin.

6 – Sistema de armas a Laser

2350279E-7F13-47C5-BB8E-273BFA548EF0

Putin também teria dito que seu país tinha dado um passou incrível na criação de armas a laser. “Isso já não é uma teoria ou um plano. Temos desde o ano passado um sistema de combate a laser.