Vesta (designado formalmente 4 Vesta) era o segundo maior asteroide do Sistema Solar, com um diâmetro médio de 530 km, até ser promovido a protoplaneta em maio de 2012. Foi descoberto por Heinrich Wilhelm Olbers em 29 de março de 1807. O nome provém da deusa romana Vesta, a deusa virgem da casa, correspondente à deusa da mitologia grega Héstia. Está localizado no cinturão de asteroides, região entre as órbitas de Marte e Júpiter, a 2,36 UA do Sol. Vesta é um asteroide tipo V. Seu tamanho e o brilho pouco comum na superfície fazem de Vesta o mais brilhante asteroide. É o único asteroide que é ocasionalmente visível a olho nu.

DFDC012A-1C53-461A-A04B-E67E42D29603

Teoriza-se que nos primeiros tempos do sistema solar, Vesta era tão quente que o seu interior derreteu. Isto resultou numa diferenciação planetária do asteroide. Provavelmente tem uma estrutura em camadas: um núcleo metálico de níquel-ferro coberto por uma camada (manto) de olivina. A superfície é de rocha basáltica, originária a partir de antigas erupções vulcânicas. A atividade vulcânica não existe hoje.

Em 16 de julho de 2011 a sonda da NASA Dawn entrou em órbita ao redor de Vesta para uma exploração de um ano. A Dawn saiu da órbita de Vesta em 4 de setembro de 2012 para viajar a Ceres.

A chegada da Sonda Dawn

266CCB6F-CBF4-4A61-AE6C-72AAF2BCBDB2

Os cientistas da missão confirmaram que a sonda Dawn já esta realmente em órbita ao redor do asteroide Vesta. A gravidade do asteroide gigante capturou a nave durante a madrugada de 16 de julho. Em troca, as câmeras fotográficas da sonda Dawn capturou a imagem close-up de Vesta. A imagem obtida para fins de navegação mostra Vesta em maior detalhe do que nunca.

6E213DBF-2673-4586-A16A-EC49A55857E5

Vesta é um asteróide GIGANTE com 530 km de diâmetro e o segundo objeto de maior massa no cinturão de asteroides (n.T. os restos da explosão do planeta Maldek). Telescópios terrestres e espaciais fotografaram esse antigo asteroide por mais de um século, mas eles não eram capazes de ver muitos detalhes da sua superfície.

B8C6DE86-096B-4B3E-9281-E37E0DA7C0C3

A sonda Dawn irá mudou tudo isso em   orbita de Vesta, durante um ano inteiro, tirando fotos cada vez mais de perto da “provavelmente mais antiga superfície primordial existente no sistema solar,” diz o investigador principal da sonda Dawn, Christopher Russell, da UCLA.

As primeiras fotos chegaram em

257B5132-97D9-4E7D-8929-9F32A734CB27

Em 18 de julho de 2011 a sonda Dawn enviou a primeira imagem de Vesta após o início da sua órbita ao redor do asteróide gigante. Na sexta-feira, 15 de julho, Dawn se tornou a primeira sonda a entrar em órbita em torno de um objeto do cinturão de asteróides, que fica entre às órbitas de Marte e Júpiter.

A imagem obtida para fins de navegação mostra Vesta em maiores detalhes do que nunca antes. Quando Vesta capturou Dawn em sua órbita, havia aproximadamente 9.900 milhas (16.000 quilômetros) de distância entre a espaçonave e o asteroide.  Os engenheiros da sonda Dawn estimam que a captura em órbita aconteceu às 22:00 PDT de sexta-feira, 15 de julho (01:00 EDT de sábado, 16 de julho).

D8D579FE-463A-4C5A-A41F-54D1F3C112E9

O asteroide Vesta é provável é a fonte de um grande número de meteoritos que caem na Terra.

Depois de viajar quase quatro anos e percorrer cerca de 1,7 bilhões de milhas (2.8 bilhões de km), a sonda Dawn também realizou a maior aceleração propulsora de qualquer nave espacial, com uma alteração na velocidade de mais de 4,2 quilômetros por segundo (6,7 km por segundo), devido a seus motores de íons. Os motores expeliram íons para criar pressão e fornecer velocidades espacial mais altas do que qualquer outra tecnologia disponível atualmente.

D48BBB05-C6B2-4B90-92DC-9C7037803AB1

A sonda Dawn escorregou suavemente para a órbita do asteróide Vesta com a mesma graça que tem apresentado durante os seus quatro anos que foi sendo empurrada por íons através do espaço interplanetário”, disse Marc Rayman, o engenheiro-chefe e gerente da missão da sonda Dawn do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa-JPL, Jet Propulsion Laboratory, em Pasadena, Califórnia “É fantasticamente excitante que vamos começar a fornecer a humanidade a sua primeira vista detalhada de um dos últimos mundos ainda inexplorado no interior do sistema solar”. 

82D59A28-2E3C-4946-9620-A263F50083A0

Embora a captura da sonda pela órbita de Vesta esteja completa, a fase de aproximação vai continuar por cerca de três semanas. Durante a abordagem, a equipe de controle da sonda Dawn continuará a busca de possíveis luas em torno do asteroide; obter mais imagens para navegação; observar as propriedades físicas de Vesta, e obter dados de calibração da sua órbita.

Além disso, os navegadores vão medir a força de atração gravitacional de Vesta na nave espacial para calcular a massa do asteróide com uma precisão muito maior do que era anteriormente disponível. O que lhes permitirá aperfeiçoar o tempo de inserção em órbita. Dawn irá passar um ano em órbita de Vesta, em seguida, viajara para um segundo destino, o planeta anão Ceres, a ele chegando em fevereiro de 2015.

Origem do Nome

D228663A-E0C5-4C6F-9DF9-EE1932F2BECA

Vesta é uma deusa romana que personifica o fogo sagrado, a pira doméstica e a cidade. Corresponde à Héstia dos gregos, embora o seu culto na península Itálica seja anterior à influência helénica no mundo romano, e, até certo ponto, à Agni dos hindus.

Era muito comum utilizar a sua imagem nas moradas dos jovens que iam adquirir conhecimento longe de sua terra natal. Cortejada pelos deuses, e especialmente pelo belo Apolo e por Netuno, Vesta rejeitou todas as propostas amorosas e conseguiu que o próprio Júpiter protegesse sua virgindade.