Uma fivela de 2 mil anos foi encontrada em um túmulo na República de Tuva, estado da Rússia localizado ao sul do país. A descoberta chamou atenção porque o artefato se assemelha muito a um objeto atual: uma capinha de iPhone.

1001592C-21B7-48BF-93C9-4F8135601321

Segundo The Siberian Times, a fivela de cinto é feita de uma pedra preciosa resultante de madeira pressurizada e tem diversos detalhes de madrepérola, cornalina e turquesa incrustados. “O enterro (…) com um iPhone da era Xiongnu continua sendo um dos mais interessantes neste local”, disse o arqueólogo Pavel Leus sobre a múmia, apelidada de “Natasha”.

A descoberta, contudo, não é tão recente. Foi em 2016, escavando a necrópole de Ala-Tey, no mar de Sayan, que a equipe fez o achado. Como relatou Leus ao Live Science, recentemente ele compartilhou uma foto da fivela no Instagram, o que gerou um rebuliço nas redes sociais por conta de sua familiaridade com uma capinha de celular.

DFD478F7-9111-4BDD-A6F7-5069C653187F

O objeto tem 18 centímetros de comprimento por 9 de largura, além de “dois orifícios redondos de um lado para ser preso à fivela do cinto, e um furinho oval do outro lado, provavelmente para sua fixação”, relataram os pesquisadores. A datação por radiocarbono sugeriu que o conteúdo da sepultura era do perído entre 92 a.C. e 71 d.C.

B40FC704-935A-42D0-BB40-8554AFFB9AC2

O especialista também explicou que objetos desse material provenientes do período são raros, mas alguns já foram encontrados em outras partes da Rússia, na Mongólia e na Ásia Central. É possível que esse tipo de ornamento fosse comum na cultura Xiongnu, presente naquela região, e que tenha sido levado ao oeste do país quando nômades migraram pelas estepes da Eurásia.