Arqueólogos chineses descobriram um líquido misterioso contido em um recipiente de bronze de 2.000 anos de idade no túmulo de um guerreiro, ao lado de sua espada.  Uma equipe de pesquisadores do Instituto de Arqueologia Sanmenxia, ​​na província central de Henan, na China, anunciou a descoberta de uma tumba intacta e dentro dela um recipiente de bronze em forma de cisne contendo quase 3 litros de um líquido misterioso.

1CE8FB3D-F11A-49F2-B1A2-0677F818C528

a parte superior da jarra tem a forma do pescoço e da cabeça de um cisne, foi encontrado dentro do túmulo junto com outros objetos funerários, incluindo um capacete, uma espada de jade e ferro.  Pin uma tigela de bronze de 2.000 anos contendo o líquido misterioso.  De acordo com o pesquisador Yan Fei, o recipiente continha mais de 3 litros de líquido marrom, que posteriormente foi derramado através de um pequeno buraco e armazenado.

Alguns cientistas especularam que o conteúdo poderia ser uma forma inicial de álcool, mas os pesquisadores pediram ajuda de especialistas de Pequim para analisar a substância e determinar o que é.  Um pesquisador da Faculdade de Ciências Humanas da Academia Chinesa de Ciências da Universidade de Pequim supostamente pegou uma amostra do líquido em 18 de maio e ainda está analisando.  Yan Fei disse em um comunicado: “A tigela de bronze com cabeça de cisne é um achado raro.  É a primeira vez que encontramos esse artigo nessa área.  É muito realista, incluindo a boca e os olhos.  Isso realmente mostra como as primeiras civilizações eram hábeis na criação de itens de bronze. ”

2972BCD3-08E1-42BC-A769-260C154A1DF1

Elixir da Imortalidade

Porém, após uma série de análises conduzidas em laboratório, os arqueólogos descobriram que o líquido era composto por nitrato de potássio e alunita; os principais ingredientes do elixir da mortalidade, segundo foi descrito em um antigo texto taoísta.

O nitrato de potássio é comumente utilizado em fertilizantes, fogos de artifício e no processamento de potássio — e dependendo da sua concentração, pode ser tóxico. Já a alunita é usada para fazer alume, composto químico muito usado na indústria.

É a primeira vez que os medicamentos de imortalidade míticos são encontrados na China. O líquido é de valor significativo para o estudo dos antigos pensamentos chineses sobre alcançar a imortalidade e a evolução da civilização chinesa”, afirmou o diretor do Instituto de Relíquias Culturais e Arqueologia de Luoyang, Shi Jiazhen, citado pela Xinhua.

474B3AE8-B000-45E7-ACCC-3024142ADB9F

Além disso, os investigadores descobriram um grande número de utensílios de jade, potes de barro pintados e artefactos de bronze na sepultura dos nobres, que mede cerca de 210 metros quadrados. “O túmulo fornece material valioso para o estudo da vida dos nobres Han ocidentais, bem como os rituais fúnebres e costumes do período”, disse Pan.

Muitos imperadores chineses perseguiram a vida eterna: Qin Shi Huang, o primeiro imperador de uma China unificada, estava tão desesperado nos seus esforços para enganar a morte que construiu um enorme mausoléu subterrâneo para os mundialmente famosos soldados de terracota, que deveriam protegê-lo na vida após a morte