De acordo com o Dr. John Brandenburg, em Marte havia uma civilização tão avançada quanto os antigos egípcios na Terra.

A conclusão a que chegou após suas investigações é que é muito provável que a civilização marciana tenha sido aniquilada com bombas nucleares de forma premeditada.

E as evidências desse genocídio podem ser vistas hoje.”

Já em 2011, o cientista havia postulado que a cor vermelha de Marte poderia ser devido a uma explosão termonuclear natural:

“A superfície marciana é coberta por uma fina camada de substâncias radioativas, incluindo urânio radioativo, tório e potássio – e este padrão irradia de um ponto quente em Marte”, disse ele.
“Uma explosão nuclear poderia ter enviado todos esses destroços ao redor do planeta.”
Desde então, Brandenburg avançou sua teoria a ponto de descartar que pudesse ser devido a uma explosão natural.

Em vez disso, ele propõe que foi o ato premeditado de uma raça alienígena inteligente.

A conclusão de seu último ensaio diz que os isótopos nucleares na atmosfera se assemelham aos de uma bomba de hidrogênio, “talvez lançada do espaço em um ataque nuclear a Marte”.

Isso seria apoiado por dados sobre a alta concentração de Xenon-129 na atmosfera marciana, e urânio e tório da superfície, coletados pela espaçonave Mars Odyssey da NASA.
Anteriormente, os cientistas apontaram que a presença desses elementos não é surpreendente, uma vez que são elementos naturais encontrados em todos os lugares.

No entanto, o Dr. Brandenburg reluta em tais argumentos e afirma que eles são os restos de pelo menos duas explosões nucleares na superfície.

Dr. John Brandenburg.

A teoria é que Marte já teve um clima semelhante ao da Terra, com vida vegetal e animal, e uma civilização inteligente tão avançada quanto os antigos egípcios no planeta vizinho.
Localizações aproximadas de explosões nucleares que teriam destruído a civilização marciana

Este último é baseado na análise de duas regiões, uma é Cydonia Mensae, onde uma série de estruturas piramidais seriam encontradas junto com a famosa e muito desmascarada Face de Marte.
De acordo com o Dr. Brandenburg, esta seria uma construção feita pela antiga civilização marciana.  A outra região seria a de Galaxias Chaos.

“As últimas imagens de orbitadores e robôs em Marte mostram fortes evidências de objetos arqueológicos erodidos”, disse o cientista em um comunicado antes de sua apresentação.
O Dr. Brandenburg argumenta que sua teoria poderia explicar o Paradoxo de Fermi – a contradição entre as estimativas de que há uma alta probabilidade de civilizações inteligentes no universo e a ausência de evidências de tais civilizações.

Além disso, o cientista acredita que devemos preparar o mais rápido possível uma missão tripulada a Marte para descobrir o que realmente aconteceu no passado.

Já estamos avisados ​​sobre esse possível aspecto do cosmos.”

Não há como negar que, vieses antropocêntricos ortodoxos à parte, a teoria de Brandenburg parece mais do que interessante.

Antigos escritos hindus nos falam sobre batalhas nucleares entre os “deuses” no passado remoto, e evidências foram encontradas em nosso próprio planeta sugerindo a presença de tais armas no passado (exemplo: Mohenjo-Daro).

Claro, também pode ser a “projeção do medo da humanidade de sua própria autodestruição em um apocalipse nuclear”.