As misteriosas Pedras de Aztlán fazem parte daquele grupo de pedras conhecido como Ojuelos Piedras, que foram analisadas por pesquisadores, parecem descrever a Visita e Contato Extraterrestre ocorrida 27 mil anos atrás !!

A história da descoberta das pedras de Ojuelos mudou ao longo do tempo. Após a descoberta desses artefatos de cerâmica feita há alguns anos, onde estão estampadas estranhas figuras que inicialmente se supunha serem de origem pré-hispânica, a peculiaridade das figuras é que parecem mostrar os povos indígenas da região que tiveram. contato com extraterrestres.

As figuras mostram rostos do que é interpretado como alienígenas cinzas e discos voadores. As “investigações” de García Sánchez e outros ajudaram a encontrar mais estatuetas (dependendo do lugar que você está olhando, o número de adesivos varia de 300 a 3.000).

A identificação de pelo menos três crânios de espécies (presumivelmente alienígenas) pertenciam à zona árida de Ojuelos, a história que faz parte da cidade dos astecas, ou seja, a mítica cidade de Aztlán. Não surpreendentemente, uma dessas pedras, a famosa pedra circular Aztlán, é uma daquelas peças que parecem mostrar rostos de alienígenas no meio do calendário asteca.

Outra figura de um astronauta alienígena impressa na pedra

Ojuelos, segundo nos dizem, era também uma área muito povoada de diferentes culturas da Aridoamérica e da Mesoamérica (e, que estranho, aparentemente de diferentes períodos), como a dos Sioux, Cheyenne, Hopi, Maia, Mexica, Olmeca, Teotihuacan, Mixteca povos, Huastec, Chichimec, etc.

De acordo com os “relatos” de pesquisadores e investigadores de OVNIs, as estatuetas foram analisadas com os métodos do Carbono 14, concluindo que datam de pelo menos 27.000 anos atrás. No início, as redes sociais, assim como os jornais locais (como o jornal La Jornada Guerrero), eram os únicos que falavam dessas estatuetas de cerâmica que mostravam desenhos do contato alienígena.

Após as análises, o ufólogo mexicano Jaime Maussán apresentou um especial em seu programa do Tercer Milenio, onde o pesquisador austríaco Klaus Dona e o físico teórico do projeto de ressonância científica Nassim Haramein falaram e comentaram as investigações sobre as Pedras Ojuelos apresentadas como um mistério autêntico.

As figuras gravadas nessas pedras mostram antigos astronautas de origem extraterrestre.
Assim, após um curto período de análise e pesquisa, o governo mexicano decidiu divulgar ao público vários objetos arqueológicos, incluindo as pedras de Ojuelos que descrevem um contato extraterrestre ocorrido há 27 mil anos. Apoiando tudo isso, o jornalista investigativo Jaime Maussan lembrou que tudo isso está relacionado com a descoberta das múmias alienígenas de Nazca no Peru.

Os rostos das múmias alienígenas são idênticos aos desenhos encontrados na cerâmica Ojuelos e mostram os alienígenas cinzentos com olhos e cabeças muito grandes, fazendo contato com as populações mesoamericanas locais.

Os rostos das múmias alienígenas são idênticos aos desenhos encontrados na cerâmica Ojuelos e mostram os alienígenas cinzentos com olhos e cabeças muito grandes, fazendo contato com populações mesoamericanas (pré-hispânicas) locais. As Pedras do Primeiro Contato também mostram a mesma tipologia de seres cinzentos em contato com o Povo Maia.