NASA exclui imagens de um edifício em Marte fotografado pelo Rover Curiosity

Existem suspeitas da comunidade ufológica que a NASA, adúltera muitas fotos, é omite outras para o público geral, à muito tempo, porém muitos sinais e objetos passam despercebidos, devido à enorme quantidade de imagens recebidas pelos Rovers.

Em 16 de setembro de 2013, o Curiosity Rover grava e envia uma série de fotos para o centro espacial NASA-JPL em Psadena, na Califórnia. Em uma dessas imagens em preto e branco, parece mostrar um edifício enorme, parcialmente visível por trás de uma formação rochosa.

Foto de 2013, ao horizonte sobre o morro se observa o que parece um prédio
Foto de 2017, estranhamente o suposto edifício desaparece

Mas o mistério fica ainda mais denso quando em uma segunda imagem datada de 11 de fevereiro de 2017, que mostra a mesma formação rochosa, mas desta vez não é em preto e branco e sim em cores, surpreendentemente o prédio desapareceu na fotografia.

Obviamente, ninguém acredita que a NASA pode mostrar imagens de exploração espacial, como Marte, como REAIS, mas pelo contrário, a agência espacial americana mais uma vez demonstra que tende a esconder evidências de vida e atividades extraterrestres no planeta vermelho.

Além disso, essas duas imagens confirmam a declaração de Donna Hare, que trabalhou para a NASA como ilustradora e designer de programas e mapas lunares, junto com o especialista e empresário Philco Ford. Donna Hare está muito convencida de que a agência espacial dos EUA tem escondido a presença extraterrestre na Lua e em Marte por décadas e décadas.

O que você acha?

Na NASA funciona assim – explica Donna Hare – Assim que chegam as fotos originais dos rovers ou sondas espaciais, se nessas fotos você vê um OVNI ou algo anômalo, pergunto ao meu colega se o objeto era um OVNI real.

O colega me explica que é seu trabalho como aerógrafo esconder tais evidências de OVNIs nas fotografias antes de serem divulgadas ao público. As pessoas não precisam saber disso e todos temos que viver na maior mentira.