Um asteroide potencialmente perigoso, com 800 metros de diâmetro, estará muito perto do nosso planeta em dezembro. Confira a primeira imagem que a NASA obteve enquanto o objeto se aproxima de nós.

Estamos cercados de perigos no universo. Um dos mais assustadores e mortais são os milhões de asteroides que circulam ao redor do sistema solar. Como é muito difícil mapeá-los e acompanhá-los, sempre existe um risco de que, neste exato momento, um asteroide esteja viajando em direção ao nosso planeta.

A trajetória do asteroide em azul (2003 SD2220) segundo cálculos passará raspando a Terra

Mas o que são asteroides? Tratam-se de objetos rochosos localizados no espaço, restos fragmentados de outros objetos, ou corpos que, durante o surgimento do sistema solar, não cresceram o suficiente para se tornar planetas. Estima-se que há pelo menos 150 milhões de asteroides maiores que 100 metros, com potencial de causar grandes estragos no nosso planeta.

Destes asteroides conhecidos, estima-se que 4700 sejam potencialmente perigosos – classificação dada aos objetos que podem realizar passagens arriscadas ao redor da Terra, levando em consideração tanto a sua distância quanto sua magnitude.

Qual é o asteroide potencialmente perigoso mais próximo de nós?

No dia 17 de Dezembro de 2021, o asteroide (163899) 2003 SD220 chegará extremamente perto do nosso planeta. Observatórios e telescópios já estão acompanhando o objeto pelo espaço, e a NASA acabou de divulgar sua primeira imagem. Confira:

No momento em que a imagem foi obtida, esta imensa rocha espacial estava a cerca de 21 milhões de quilômetros da Terra, se aproximando lentamente de nós. Descoberto em 29 de setembro de 2003, o asteroide possui um diâmetro de 800 metros e potencial de causar uma catástrofe caso atinja nosso planeta.

No ponto de maior aproximação, sua distância será de somente 5,4 milhões de quilômetros. Isto é o equivalente a 14 vezes a distância da Lua – pode até parecer muito, mas em termos astronômicos é uma distância minúscula.

Ainda assim, para nossa felicidade, o consenso geral é de que não precisamos nos preocupar com nada. A rota do asteroide é segura e não risco de impacto com o nosso planeta. Melhor ainda, sua proximidade vai render boas observações e talvez até mesmo ajudar cientistas a estudar e entender suas características.

A imagem acima foi obtida através da iniciativa chamada The Virtual Telescope, que conta com telescópios robóticos acessíveis de maneira remota, seja para fins de pesquisa ou não. Isso significa que tanto cientistas quanto curiosos podem acessá-los e observar coisas que ninguém havia observado antes.

Com tantos programas de observação e telescópios sendo inaugurados, ficará cada vez mais difícil um asteroide passar despercebido pelo céu noturno. A segurança do nosso planeta agradece.