Um incidente misterioso ocorrido no dia 15 de novembro de 2021, pôs em risco a integridade da Estação Espacial Internacional e seus astronautas, não se sabe a origem, nem os envolvidos, varias especulações foram formuladas inclusive um ataque Alienígena, vamos aos fatos.

Uma nuvem de destroços provocou os astronautas forçados a se refugiarem em cápsulas espaciais. Pela segunda vez em uma semana, a Estação Espacial Internacional, ou ISS, passou por uma “nuvem de destroços” que forçou os astronautas a se refugiarem em cápsulas espaciais ancoradas no laboratório orbital.

No entanto, não se sabe o que levou ao misterioso ataque à ISS, então as especulações continuam.

Ataque misterioso à ISS?

Conforme relatado pelo The Houston Chronicle, o Comando Espacial dos Estados Unidos relatou que um “evento gerador de destroços no espaço sideral” ocorreu forçando os tripulantes a procurar refúgio em compartimentos de emergência

A declaração oficial é a seguinte:

“Estamos trabalhando ativamente para caracterizar e identificar a causa e origem do campo de destroços, continuaremos garantindo que todas as nações que viajam pelo espaço tenham as informações necessárias para manobrar os satélites caso sejam atingidos. Também estamos trabalhando com varias agências, incluindo o Departamento de Estado dos EUA e a NASA, nesses relatórios e forneceremos uma atualização em um futuro próximo. “

Felizmente, não houve colisão e todos os tripulantes da ISS estão em perfeitas condições. De fato, logo depois que os relatórios começaram a surgir, o próprio comandante da estação, Anton Shkaplerov, twittou que “tudo está normal”.

Embora esse tipo de encontro não seja “normal”, na verdade, na semana passada a espaçonave teve que manobrar para longe de uma nuvem de detritos espaciais.

Agora, foi divulgado o áudio do momento dramático, obtido pelo jornal inglês Daily Mail. Na gravação, é possível ouvir uma voz acordando Mark Vande Hei, astronauta da Nasa e engenheiro de voo da ISS, informando a ele que a tripulação precisava se proteger de um “rompimento de satélite”.

O Áudio

“’Precisamos que vocês comecem a revisar o manual de segurança”, diz o controle de solo, antes de orientá-lo sobre os procedimentos que ele precisaria executar. “É 9 decimal 21. Estamos planejando realizar até o bloco 8, que incluirá o fechamento das escotilhas radiais. O horário de preocupação é às 6h”.

Vande Hei e seus companheiros acabaram se acomodando nas naves de retorno por duas horas, enquanto a ISS passava duas vezes pelo campo de destroços, até que a Nasa considerasse que já fosse seguro o suficiente para sair.

Tripulação da ISS

As especulações não pararam de aparecer.

Em 10 de novembro, a ISS evitou colidir com uma nuvem de detritos espaciais criada há uma década, quando a China detonou seu antigo orbitador meteorológico enquanto testava mísseis anti-satélite.

O campo resultante de detritos espaciais foi imenso, conforme apontado pelo astrônomo de Harvard Jonathan McDowell. Segundo o especialista, mais de 3.500 pedaços de entulho foram criados pelo impacto do míssil chinês. Atualmente, existem 2.700 em órbita.

Seria uma arma anti-satélite?

A história continua se desenrolando, atualmente, pouco se sabe sobre a origem dos destroços do incidente de 15 de novembro.
Tanto McDowell quanto Thomas Burghardt, diretor de notícias da NASA SpaceFlight, observou que a Rússia conduziu seu próprio teste anti-satélite no mesmo dia.

Isso poderia levar à destruição planejada de seu satélite Kosmos-1408.
Como os astrônomos mencionaram, o agora destruído Kosmos-1408 é um “candidato plausível” porém não confirmado para ser a causa deste último bombardeio de detritos espaciais.
Isso significaria que uma das nações mais poderosas do mundo provavelmente desenvolveu sua própria arma anti-satélite.

Houve até especulação de um possível ataque alienígena de acordo com certos teóricos. Embora ainda não haja nada dito.
É muito cedo para dizer o que ou quem é o culpado pela criação dos destroços que colocaram a ISS em perigo. A única certeza é que pode haver sérias implicações para o futuro do armamento anti-satélite.