Enquanto trabalhavam na cratera Von Kármán, os pilotos do rover chinês Yutu aproveitaram para tirar fotos do horizonte lunar. Eram as primeiras fotos que o rover tirava sob o céu escuro. Os pesquisadores ampliavam as fotos, uma a uma, quando, de repente, um cubo misterioso no horizonte saltou à vista, chamando a atenção de todos.

Seria uma “cabana” alienígena misteriosa? Ou restos de uma espaçonave de missões terrestres anteriores? Os pesquisadores de fotos correram para consultar os cientistas sobre a descoberta, e foram tranquilizados.

O Rover Chinês que está na Lua

O objeto pode ser apenas uma pedra, e parece estar localizado a 80 metros do robô motorizado. Ainda assim, pesquisadores querem ir até lá dar uma olhada melhor.

A descoberta foi anunciada no blog Our Space, canal de divulgação afiliado ao órgão de Administração Espacial Nacional da China (CNSA, do inglês), responsável pelo programa espacial chinês.

O blog batizou o objeto de “cabana misteriosa”. O formato curioso dessa rocha que chamou a atenção de pesquisadores pode ter sido causado por impactos na superfície da Lua, como a queda de meteoritos.

Nos próximos dois ou três dias lunares — equivalentes a dois ou três meses terrestres — o rover chinês irá se aproximar do objeto. Viajar na superfície lunar evitando diferentes crateras pode demorar, mesmo em distâncias curtas, mas podemos esperar atualizações da descoberta.

Por causa da distância e da definição da câmera, o objeto aparece nas imagens sem muita clareza e apenas após uma aproximação deve revelar mais detalhes. A explicação mais plausível, segundo Jones, é que se trate de um rochedo destacado do solo.

O estranho Cubo

O lado escuro da Lua é cheio de crateras de impacto de meteoros e meteoritos, o que faz com que a paisagem seja bastante acidentada. A missão Chang’e-4, da qual o Yutu-2 faz parte, é a primeira exploração de superfície do lado menos conhecido do satélite terrestre.


Os cientistas enfatizam que tal objeto não pode ser uma nave alienígena ou um obelisco feito pelo homem, mas sua natureza é de qualquer forma interessante. Por exemplo, pode ser uma rocha ejetada do impacto de um asteróide.

O rover lunar “Yuytu-2” pousou perto da cratera Von Karman em 2019 durante a missão “Chang’e-4”, tornando-se o primeiro rover lunar no outro lado da lua. Com sua ajuda, os especialistas estudam a composição do manto lunar.