No folclore europeu, existe uma criatura que carrega “crianças más” em um saco ou cesta para nunca mais ser vista.  Esse ser é conhecido como Krampus.

Quando o Natal está chegando, muitas crianças ao redor do mundo aguardam com alegria e impaciência a chegada do 25 de dezembro para que o ícone mais proeminente dessas datas, o Papai Noel ou o Pai Natal, apareça e deixe-as debaixo da árvore os presentes que elas possuem esperando o ano todo.

Mas apenas se eles tiverem sido bons e bons. Mas há um lugar em particular onde o mau comportamento tem mais do que consequências terríveis: o norte da Europa.

No folclore europeu, existe uma criatura que é carregada em um saco ou cesta para crianças que tiveram um mau comportamento, para nunca mais serem vistas. Esse ser é conhecido como Krampus.
Este demônio vive no subsolo e aparece na tarde de 5 de dezembro rondando as ruas por duas semanas, tocando sinos e correntes enferrujadas que usa para assustar adultos e crianças, enquanto gosta de semear terror no coração das crianças. Antes de sequestrá-las.

De acordo com a lenda, há muitos anos a lista de crianças más do Papai Noel havia crescido muito. Oprimido pelo trabalho que tinha que fazer, Papai Noel pediu ajuda aos Krampus para cuidar deles para ele.

O demônio aceitou sem pensar um momento. Assim, enquanto as crianças boas recebiam presentes, as más eram acorrentadas e carregadas para o subsolo, onde seriam espancadas e comidas pelos Krampus.

Os pais disseram aos filhos que essa criatura já existia há séculos antes de Cristo. Ele simboliza o lado negro do Natal. É a antítese do Papai Noel, mas sua idade é de 10.000 anos. Krampus é uma criatura que vem de países alpinos, especialmente das terras da Áustria e da Hungria.


A palavra Krampus vem da palavra em alemão antigo “krampen”, que significa garra.

Existem duas formas de descrever o Krampus: uma delas e a mais popular, tem um rosto demoníaco, língua comprida, dentes afiados, chifres enormes na testa e um sorriso grotesco. Seu corpo é coberto por pêlos escuros e possui pernas de cabra semelhantes às de um fauno.


A segunda maneira pela qual descrevem essa criatura é a de um velho de barba cerrada e cabelos grisalhos, com aparência de eremita. De certa forma, nesta descrição, ele se parece mais com o Papai Noel.

No século IXX, devido à influência alemã, a lenda dos Krampus se espalhou pela Croácia, República Tcheca e Eslováquia. Até se espalhou para o norte da Itália. Na Europa, durante a Idade Média, o Natal parecia mais o Halloween, pois os camponeses se vestiam assim para sair para assustar os vizinhos e assim conseguir comida.

As crianças do centro e do norte da Europa sabem que devem comportar-se bem porque, caso contrário, São Nicolau (ou para nós, o Pai Natal), não traria presentes. Em vez disso, o Krampus chegaria para levá-los a um submundo de fogo eterno.


Durante a Idade Média, a Igreja Católica tentou erradicar essa crença considerando o Krampus um demônio pagão. Mas não sei conseguiu acabar com sua lenda, já que estava profundamente enraizada na população.

No final do século XX, a figura do Krampus foi recuperada graças a festas à fantasia e shows onde jovens de várias partes da Europa se fantasiam desse demônio.


Hoje, o Krampus está mais vivo do que nunca. O ressurgimento desse demônio na sociedade tecnológica em que vivemos é fascinante.
Embora em alguns lugares da Europa seja bastante tradição, já que se organizam desfiles chamados de “raça Krampus”, onde este ser aparece nas ruas carregando uma tocha e vagueia chicoteando as pessoas que o observam com galhos secos.