Pode parecer estranho, mas na constelação de Vulpecula, localizada a 64,5 anos-luz do Sistema Solar, existe um exoplaneta altamente mortal (pelo menos para a vida humana e para a maior parte dos seres vivos da Terra).

O exoplaneta HD 189733 b, que foi descoberto em dezembro de 2005, apresenta temperaturas de até 1093ºC durante o dia. E não para por aí, já que a chuva do HD 189733 b é de vidro.

As condições completamente hostis desses corpos inviabilizam a existência da vida como conhecemos. A menos que existam formas de vida adaptadas para sobreviverem ao local, não há como algo ou alguém sobreviver ali por muito tempo. Isso se dá por conta dos eventos naturais devastadores que acometem o corpo celeste.

O HD 189733 b pode apresentar tons similares aos da Terra, visto que ele se constitui de um lindo tom azul. No entanto, o exoplaneta é maior e muito mais quente. Suas dimensões se aproximam das de Júpiter, com cerca de 139.820 km de diâmetro. o astro extra.

O HD 189733 b pode apresentar tons similares aos da Terra, visto que ele se constitui de um lindo tom azul. No entanto, o exoplaneta é maior e muito mais quente. Suas dimensões se aproximam das de Júpiter, com cerca de 139.820 km de diâmetro.

O astro extrasolar leva 2,2 dias para completar 1 órbita em torno de seu sol. Vapor de água, metano e dióxido de carbono já foram encontrados na atmosfera do exoplaneta pelo telescópio Hubble e pelo telescópio Espacial Spitzer. 

Por conta das altíssimas temperaturas observadas no exoplaneta durante o dia, que chegam a 1093 °C, o HD 189733 b possui uma atmosfera nebulosa composta de nuvens misturadas com partículas de silicato (silício e oxigênio). Segundo a NASA, os ventos do local chegam a 5,4 mil mph (2 km/s), que é 7 vezes a velocidade do som. Assim, as partículas de silicato aliadas aos ventos formam pequenas “gotículas” de vidro. 

Os pedaços de vidro despencam do céu à velocidade de mais de 7,2 mil quilômetros por hora. “Ser pego pela chuva neste planeta é mais do que uma inconveniência, é uma morte por mil cortes. Esse mundo alienígena escaldante possivelmente faz chover vidro — por todos os lados — em seus ventos uivantes”, afirmou a NASA em um comunicado. 

O que é um exoplaneta?

Exoplanetas são planetas que se encontram fora do Sistema Solar, em órbita de outras estrelas, ou seja, fazem parte de outros sistemas planetarios. Até 2019, a Agência Espacial Norte Americana (Nasa) já havia confirmado a existência de mais de 4.000 exoplanetas e de pouco mais de 3.000 sistemas planetários.

Observá-los não é uma tarefa fácil, uma vez que os planetas não emitem luz própria e são muito menores que as estrelas. Cerca de 76,5% dos exoplanetas são observados quando “passam na frente” de uma estrela. Foi isso que permitiu a descoberta do HD 189733 b, em 2005.

Exoplanetas parecidos com a Terra

O primeiro exoplaneta com tamanho e massa similar ao da Terra, localizado na zona habitável de uma outra estrela, que não o Sol, foi descoberto em 2014 e batizado de Kepler-186f. A zona habitável é a distância entre o planeta e sua estrela, em que é possível existir água no estado líquido.

No entanto, a estrela em questão era diferente do Sol, de modo que esse planeta recebia menos de um terço da luz solar que é irradiada em direção à Terra. Também em 2014 foi identificado o primeiro exoplaneta a orbitar a zona habitável de uma estrela similar ao Sol. Chamado de Kepler-22b, o raio do exoplaneta é cerca de 2,4 vezes maior que o da Terra.