A NASA está tentando encontrar uma explicação lógica, para as anomalias registadas pelo Curiosity Rover na Cratera Gale de Marte, enquanto o físico John Brandenburg já se pronunciou sobre essas anomalias: “A civilização em Marte foi dizimada por explosões nucleares produzidas por uma civilização alienígena hostil e a evidência está aí. “

Os cientistas descobriram uma área anômala na cratera Gale, onde o veículo registrou um nível elevado de nêutrons em sua composição do solo, que são muito diferentes do resto da superfície do Planeta Vermelho. E a ‘Curiosity’ foi ao encontro dessa anomalia no planeta, um fato que a ciência oficial não pode dar uma explicação lógica, mas o físico está plenamente convencido de que explosões nucleares ocorreram na superfície do PLANETA VERMELHO.

Um instrumento sofisticado instalado no Curiosity mostrou que na cratera Gale, ao pé da montanha Sharp, existe uma área de três metros de diâmetro que apresenta uma emissão extremamente alta, de nêutrons. Geralmente este fenômeno é causado por um alto nível de hidrogênio e, portanto, de água na camada superficial. No entanto, os cientistas, que acreditavam que a cratera Gale estava coberta de água, não conseguem explicar por que esses níveis de nêutrons existem em uma área de apenas três metros.

Graças a outro dispositivo, o ChemCam, também foi possível descobrir que no mesmo local há uma composição química incomum no solo, com alto teor de quartzo, mesmo que não muito longe esses valores voltem ao normal.

Enquanto esperamos para aprender sobre os novos desenvolvimentos da NASA, nas redes sociais há anos circula uma teoria segundo a qual Marte teria sido submetido a explosões nucleares. John Brandenburg, físico, reitera que “a civilização em Marte foi destruída por explosões nucleares produzidas por uma civilização alienígena hostil”.

As anomalias registradas pelo veiculo relativos aos nêutrons, o resto do material radioativo (isótopo) detectado na superfície de Marte, para não mencionar a concentração anormal de xénon-129, são suficientes para Brandenburg justificar sua teoria que aconteceu no planeta várias explosões nucleares.

O Planeta Vermelho tem sido objeto de grandes eventos radiológicos

Deve ser dito, que vários cientistas expressaram suas dúvidas no fato de os isótopos em Marte terem sido produzidos por um reator nuclear natural. No entanto, alguns destacam Brandenburg ao falar sobre o potássio radioativo. O potássio radioativo-40 não pode ser medido a partir da órbita, e os cientistas só têm informações sobre o isótopo normal (potássio-39) em Marte. Também descartou as hipóteses produzidas pelo meteoro ALH 84001, gerado após um impacto catastrófico durante o período arqueano, há 3,6 bilhões de anos.

A alta concentração de Xênon-129 na atmosfera, a presença de Krypton-80 e o excesso de abundância de urânio e tório encontrados na superfície, em comparação com meteoritos de Marte, nos diz que o planeta ter sido objeto de fortes eventos radiológicos, o que criou grandes quantidades de isótopos e cobriu sua superfície com uma fina camada de detritos radioativos. Essas anomalias podem ser a consequência de duas grandes explosões nucleares anômalas ocorridas no passado de Marte, como Brandenburg escreve no Jornal de Cosmologia e Astrofísica.

Em conclusão, o caso do xenônio-129 também foi registrado durante a missão da sonda Odissey em Marte, mas tudo isso ainda não está claro e a NASA não sabe como justificar essas anomalias.

Projetos militares secretos

Brandenburg, disse durante uma conferência na Sociedade Americana de Física, também especulou que Marte já foi coberto por um oceano, algo que a NASA recentemente disse. Na conferência, Brandeburg continuou a perguntar aos oficiais da NASA o que eles estavam escondendo com a aprovação de um programa espacial secreto, que foi desenvolvido usando fundos que haviam sido alocados pelo Congresso para um sistema econômico diferente.

A questão era que vários bilhões de dólares estavam faltando, e ele se perguntou onde eles tinham parado. Brandeburg disse que o dinheiro acabou em uma série de projetos militares secretos, nos quais a tecnologia avançada de origens alienígenas foi usada para desenvolver bases subterrâneas ao redor do mundo, na Lua e em Marte.