O presidente russo, Vladimir Putin, em meados de 2018, revelou o pesado míssil intercontinental chamado SARMAT. Uma arma potencialmente perigosa e eficaz para o nosso planeta, mas serviria para uma invasão extraterrestre?

Tudo começou quando o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que o país norte-americano formaria um exército espacial que defenderia os americanos de ataques espaciais.

O presidente russo queria mostrar que a Rússia é muito mais avançada do que os Estados Unidos, por isso tem uma capacidade de guerra capaz de atacar mesmo além dos nossos limites terrestres.

A pergunta que todos fazem é: Por que os Estados Unidos planejam criar um exército espacial que já possuem e por que não comunicam que existe uma ameaça no espaço?

Muito pior, por que a Rússia quer mostrar que já está muito avançada nessa questão? Tudo se presta a especulações e teorias, mas tudo parece indicar que estamos muito próximos da verdade sobre os alienígenas sendo revelados ao mundo.

Putin disse repetidamente que seu exército não iria ser imerso em uma corrida armamentista para ver esgotado todos os seus recursos, como aconteceu com a antiga União Soviética, por isso está preparado para qualquer eventualidade, mesmo se a ameaça de guerra vem de fora do nosso planeta.

Nos últimos anos, o Kremlin investiu uma quantia imensa de dinheiro na melhoria de seu armamento militar: mísseis intercontinentais, submarinos atômicos e aviação estratégica. Naturalmente sem mencionar as armas sofisticadas e uma inteligência de fora deste planeta.

Os últimos são os mais interessantes, porque especula-se que o novo avião russo seria capaz de sair da atmosfera e resistir às temperaturas e pressões extremas do mesmo.

O que sabemos sobre o programa ultra-secreto que o exército e o país mais poderosos do mundo têm no espaço, a Rússia? Vladimir Putin está se preparando para uma guerra intergaláctica com alienígenas?