Para garantir que o planeta não esteja em perigo, cientistas da NASA e de outras agências espaciais planejam desviar os asteroides enviando missões para interceptá-los.

O asteróide Apophis está perigosamente perto de nós e pode causar um evento catastrófico. Para avaliar os riscos que temos, a NASA está preparando uma missão para interceptar diretamente o objeto no espaço.

Apophis

Os astrônomos descobriram que um asteróide potencialmente perigoso chegará muito perto do nosso planeta dentro de sete anos. E não, isso não é uma resenha do filme Don’t Look Up.

Espera-se que o objeto, agora conhecido como Apophis, se aproxime da Terra por volta de 13 de abril de 2029.

Será possível ver o asteróide no céu à medida que ele passa a distâncias tão próximas quanto as órbitas de alguns de nossos satélites, ameaçando até atingir alguns dos instrumentos e causar danos significativos.

Quando os astrônomos o detectaram pela primeira vez em 2005, perceberam que o asteroide tinha 340 metros de comprimento, o tamanho do Empire State Building, grande o suficiente para causar uma extinção em massa em nosso planeta.

Hoje, os cientistas acreditam que a primeira passagem do asteroide não representará um risco para o planeta, mas também pensam que a gravidade da Terra desviará a trajetória do asteroide.

Como consequência disso, quando passar perto do planeta novamente por volta de 2060 poderá apresentar um curso muito mais perigoso.

China também quer desviar asteroides próximos

A agência espacial da China também está tentando desenvolver um sistema de monitoramento e alerta de asteroides baseado em terra.
O esforço global para proteger a Terra de asteroides perigosos ficará mais forte, já que a China anunciou suas intenções de testar um sistema de redirecionamento de asteroides a partir de 2025.

Falando à Televisão Central da China, Wu Yanhua, vice-diretor da Administração Espacial Nacional da China (CNSA), descreveu os planos preliminares da China para embarcar no projeto de defesa planetária.
Para o teste proposto, Wu disse que uma sonda examinaria de perto um objeto próximo à Terra antes de colidir com ele.

Conhecido como impacto cinético, a ideia é alterar o caminho orbital de um asteroide ameaçador, direcionando uma grande espaçonave de alta velocidade em direção ao objeto.

A NASA está atualmente executando um teste semelhante, conhecido como Teste de Redirecionamento de Asteroides Duplos, ou DART, que busca deliberadamente colidir uma sonda espacial em Dimorphos, um pequeno asteroide, ainda este ano.
A agência espacial chinesa tem como meta 2025 ou 2026 para realizar o teste.

As iniciativas espaciais do país estão avançando rapidamente, como evidenciado por suas missões robóticas lunares e marcianas, e sua estação espacial nascente, que está sendo disponibilizada para astronautas estrangeiros, incluindo turistas espaciais.