Astrônomos receberam fotos detalhadas da região do espaço onde pode estar localizado o nono misterioso planeta gigantesco do nosso Sistema Solar. Eles têm “80% de certeza” de que conseguirão encontrá-lo nas imagens caso o “Planeta X” exista realmente, declarou o astrônomo Michael Brown.

Um ano atrás, os astrônomos Brown e Batygin começaram a buscar o “Planeta X” com ajuda do telescópio Subaru (significa Plêiades em japonês) no arquipélago do Havaí, passando uma semana observando a suposta órbita.

“Pela primeira vez nós conseguimos passar sete dias observando sem parar. Penso que se encontrarmos o ‘Planeta X’, ele vai estar escondido justamente nestes dados. Eles cobrem uns 85% do céu onde deve estar. Se realmente houver algo lá, as chances da descoberta do planeta são de 95%”, afirmou.

No início de 2016, os astrônomos Michael E. Brown e Konstantin Batygin declararam ter conseguido calcular a localização do misterioso “Planeta X”, nono planeta do Sistema Solar, que estaria localizado a cerca de 41 bilhões de km do Sol e que pesa 10 vezes mais do que a Terra. O “nono” planeta passaria 14 mil anos para dar uma volta ao redor do nosso Sol.

Até hoje não há informações concretas sobre a existência e localização exata do planeta, além do movimento estranho dos planetas anões no Cinturão de Kuiper que seriam afetados pela sua massa. Há também alguns dados sobre a possível órbita do novo corpo celeste, inclinado a 30 graus. As buscas pelo “Planeta X” não trouxeram sucesso até então, mas a zona de busca já foi demarcada.

Um ano atrás, Brown e Batygin começaram a buscar “Planeta X” com ajuda do telescópio Subaru (Plêiades) no arquipélago do Havaí, passando uma semana observando a suposta órbita.

As primeiras tentativas de receber fotos não deram frutos por causa das condições climáticas desfavoráveis e problemas no funcionamento do observatório. Agora a equipe de astrônomos procura encontrar nas imagens finalmente obtidas vestígios do nono planeta.

“O nosso problema principal, eu receio, será a própria Via Láctea […] que entra parcialmente na zona de busca onde há milhares de estrelas. O resplendor foi tão brilhante que nem tentamos procurar o ‘Planeta X’ nesta parte do céu”, explicou o pesquisador.

Michael Brown disse que ‘incrivelmente’ ninguém conseguiu provar que sua hipótese sobre o nono integrante do Sistema Solar está errada.

Entretanto, Brown e Batygin têm certeza de que as suas hipóteses sobre a localização do planeta misterioso são corretas, avaliando a possibilidade de existência do corpo celeste em 99,8%. Segundo os dois cientistas, não há explicações razoáveis das anomalias no comportamento dos planetas anões do Cinturão de Kuiper a não ser a teoria deles da existência do “Planeta X”.

Se eles não conseguirem encontrar o “Planeta X” nos dados recebidos, em fevereiro de 2019 será realizada mais uma rodada de observações, no decorrer da qual eles querem examinar a Via Láctea para encontrar o gigante gasoso vagando em meio uma pilha de estrelas.