Há um grande número de textos antigos que sobreviveram até hoje.  Uma delas é a história da “Montanha Negra” do Ártico.

Sua tradução tem sido complicada, pois foram escritas em línguas mortas. No entanto, o pesquisador Gerardus Mercator conseguiu criar um mapa excepcional do Ártico no século XVI.
O interessante é que o mapa tinha uma misteriosa montanha negra no centro que os especialistas ainda não conhecem.

Quando Mercator terminou o mapa descritivo da Terra do Norte, colocou uma montanha negra no centro do local cercada por um redemoinho que movia a circulação das águas oceânicas com 4 ilhas, e seus respectivos rios.

Ele também fez o mapa do Pólo Norte, segundo as informações disponíveis no século XV, graças a Martin Behaim. Este navegador era dono do globo terrestre mais antigo ainda preservado.

Com a grande montanha magnética, o Pólo Norte tinha uma zona fundamental que caracterizava aquela região. Esse era um campo magnético que dá uso à bússola.

1595, o velho livro Cnoyen, afirmava que criaturas estranhas viviam nas ilhas ao redor da montanha negra.
Isso aumenta o mistério da história da navegação. É possível que na antiguidade, quando o homem queria conquistar mais terras, ele mapeasse o Norte. Dessa forma, chegou às mãos de Behaim e depois de Mercator.

No entanto, as terras antigas descritas nos tempos antigos permanecem escondidas, talvez pelo gelo ou talvez pela edição de imagens.

No entanto, hoje existem satélites que nos fornecem imagens em tempo real de todo o mundo. Isso mostra que o Pólo Norte é diferente, banhado pelo Mar Índigo, que é coberto de gelo devido ao ciclo das estações.

Em outro espaço dimensional
Alguns pesquisadores acreditam que eles simplesmente não são mais visíveis para os humanos. “Seres desconhecidos seriam encontrados naquele lugar, talvez raças alienígenas que ocupam esses quatro territórios que aparecem nos mapas do passado.”

Acredita-se até que a área da montanha negra seja a união do nosso mundo com outros paralelos. Estando em um plano existencial diferente do nosso, nenhuma câmera conseguiu capturá-lo e a única maneira de vê-lo é entrando no território.

Que essas terras estejam conectadas por portais a outras dimensões que as mantêm escondidas. Ou talvez, essa tenha sido a decisão de quem a construiu, proteger o que está dentro da humanidade.

Embora muito pouco se saiba sobre a Montanha Negra e o que está ao seu redor, os cartógrafos antigos estavam cientes de sua existência. Por que não podemos vê-lo hoje?