Registros mostram pontos remotos do universo que nunca haviam sido vistos com tanta nitidez

Um dia após divulgar o primeiro registro pelo Telescópio Espacial James Webb, a NASA liberou novas imagens feitas pelo equipamento. Elas mostram pontos remotos do universo que nunca haviam sido vistos com tanta nitidez. Confira abaixo as fotos:

Nebulosa de Eta Carinae

Esta paisagem de “montanhas” e “vales” salpicados de estrelas brilhantes é na verdade a borda de uma região jovem e próxima de formação de estrelas chamada NGC 3324 na Nebulosa Carina. Capturada em luz infravermelha pelo novo Telescópio Espacial James Webb da NASA, esta imagem revela pela primeira vez áreas anteriormente invisíveis de nascimento de estrelas.

Quinteto de Stephan

O Quinteto de Stephan é um agrupamento de cinco galáxias. O enorme mosaico que registra a formação é a maior imagem feita pelo James Webb. Ele contém mais de 150 milhões de pixels e é construído a partir de quase mil arquivos de imagem separados. Com sua poderosa visão infravermelha e resolução espacial extremamente alta, o telescópio mostra detalhes nunca antes vistos neste grupo de galáxias. As informações fornecem novos insights sobre como as interações galácticas podem ter impulsionado a evolução das galáxias no início do universo.

Nebulosa NGC 3132

Duas câmeras a bordo do James Webb capturaram uma imagem incrível desta nebulosa planetária, catalogada como NGC 3132, e conhecida informalmente como Nebulosa do Anel Sul, situada a aproximadamente 2.500 anos-luz de distância. O novo equipamento permitirá que os astrônomos investiguem muito mais detalhes sobre formações como esta.

Telescópio James Webb

O James Webb é considerado o maior e mais poderoso telescópio espacial já construído. O novo equipamento é capaz de fotografar o universo com uma definição inédita, principalmente graças à sua visão infravermelha, uma de suas maiores vantagens em relação ao Hubble, que opera basicamente com o espectro de luz visível.