De acordo com uma nova pesquisa, os primeiros humanos a se estabelecerem na Lua poderão viver em cavernas com temperaturas adequadas à vida. Assim como os primeiros humanos na Terra fizeram.

A Lua tem zonas com temperaturas adequadas à vida humana, revela nova pesquisa.
A Lua tem poços e cavernas onde a temperatura fica em aproximadamente 17 graus Celsius. Isso significa que é habitável para os seres humanos. Isso foi revelado por uma investigação baseada em informações do Lunar Reconnaissance Orbiter e modelagem computacional.

Temperatura adequada para a vida na Lua

As áreas estudadas são termicamente estáveis para exploração lunar, em comparação com outras áreas da superfície. Estes últimos atingem temperaturas de até 127 graus Celsius durante o dia e esfriam até -173 graus à noite.

Esses poços, descobertos pela primeira vez em 2009, estão sendo estudados para ver se levam a cavernas que poderiam ser exploradas. Ou pelo menos usados como abrigo, pois oferecem alguma proteção contra raios cósmicos, radiação e micrometeoritos.

Tyler Horvarth, um estudante de doutorado em ciências planetárias da Universidade da Califórnia, lidera a pesquisa.
Na revista Geophysical Research Letters, o astrônomo afirmou que cerca de 16 dos mais de 200 poços são provavelmente tubos de lava colapsados.

O cientista, que também faz parte do projeto LRO Noah Petro, do Goddard Space Flight Center da NASA em Greenbelt, Maryland, também disse que eles criam um ambiente térmico estável que ajuda a formar uma imagem dessas características lunares únicas.
Especialmente, levando em conta uma exploração futura.

Esses tubos de lava também existem na Terra, formando-se quando a lava derretida flui sob um campo de lava resfriado ou crostas sobre um rio de lava. Assim, eles deixam um longo túnel oco. Se o teto de um tubo solidificado desmoronar, abre-se um poço que pode levar a uma caverna.

Os maiores poços do satélite têm saliências visíveis que levam a cavernas. Há também fortes evidências de que outra saliência também pode levar a uma grande caverna.

De volta ao “começo”

David Paige, coautor do artigo e diretor do Diviner Lunar Radiometer Experiment, a bordo do LRO que fez as medições de temperatura, observou:
“Os humanos evoluíram vivendo em cavernas, e para cavernas podemos retornar quando vivermos na Lua.”

Concentrando-se em uma depressão cilíndrica de cerca de 100 metros de profundidade em uma área conhecida como Mare Tranquillitatis, a equipe usou modelagem computacional para analisar as propriedades térmicas da rocha e poeira lunar, registrando temperaturas ao longo de um período de tempo.

Os resultados revelam que as temperaturas dentro das seções permanentemente sombreadas do poço flutuam ligeiramente durante o dia. Estes permanecem entre 17° e se uma caverna se estender do fundo do poço, também terá uma temperatura confortável.

Os professores de ciências planetárias David Paige e Paul Hayne da UCLA e da Universidade do Colorado em Boulder acreditam que a projeção da sombra é responsável pela temperatura estável. Isso limita o calor do dia e evita que o calor seja irradiado à noite.

Um dia na Lua são 15 dias terrestres, nesse tempo, a superfície é bombardeada pela luz solar, tornando-a quente o suficiente para ferver a água. As noites, brutalmente frias, também duram 15 dias. Com esta descoberta, foi dado um passo muito importante para a exploração lunar.