Segundo um estudo realizado pela Science Alert, em março de 2022, há bilhões de anos as moléculas de água que saem da Terra vão para a Lua. Com isso, descobriu-se que os íons de hidrogênio e oxigênio do nosso satélite natural não vem dos lagos e oceanos, mas sim da atmosfera terrestre.

Os relatórios do órgão relatam também que a grade da magnetosfera da Terra pode ser quebrada pelo vento do Sol, o que deixa os fios de partículas carregadas flutuando atrás da Terra.

Os íons se tornam água líquida quando são retirados pelos poros da superfície do satélite. Depois disso são criados amplos reservatórios do líquido no subsolo escavados pelos poros da superfície da Lua e formam “grandes reservatórios de água líquida no subsolo”.

Outra curiosidade é que o volume total da substância congelada e líquida na Lua é suficiente para encher o Lago Huron. A Lua passa pela magnetosfera da Terra e fazem com que os fios rompidos se recomponham – assim, os íons de hidrogênio e oxigênio escapados voltam para a Terra e são interceptados pela Lua em trânsito.

Água na Lua terá função importante no futuro

A água na Lua pode vir de diversos lugares, como os ventos solares que se unem com moléculas de oxigênio na superfície lunar, de asteroides gelados que atingem a Terra e da recente descoberta de absorção da atmosfera da Terra.

O líquido está concentrado principalmente nos pólos, que são de difícil acesso por causa do terreno acidentado e dos problemas de comunicação que surgem por não estar de frente para a Terra.

“Como a equipe Artemis da NASA planeja construir um acampamento base no pólo sul da lua, os íons de água que se originaram há muitas eras na Terra podem ser usados ​​no sistema de suporte à vida dos astronautas”, explicou um dos diretores envolvidos na pesquisa.

Depois desta teoria, em 2024 os astronautas partirão em busca de um desafio no Pólo Sul lunar, em um esforço para indicar onde estará o Acampamento Base de Artemis. O objetivo é que bilhões de anos depois, a vida na Terra pode estar avançada o suficiente para aproveitar nossa água acumulada na Lua.