Algumas mudanças na órbita de Júpiter podem ter impactos drásticos na Terra. De acordo com um novo estudo publicado no The Astronomical Journal, essas alterações orbitacionais podem fazer com que a temperatura de zonas mais frias do nosso planeta aumente, tornando esses lugares “mais habitáveis”, ou ainda diminua e nos cause grandes problemas.

Como Júpiter é o maior planeta do nosso Sistema Solar, ele tem uma enorme força gravitacional. Se sua órbita mudasse de uma determinada maneira, tornando-se mais achatada ou “excêntrica”, mas na mesma posição, a órbita da Terra se aproximaria do Sol em pontos específicos. Durante esse período, locais mais frios pelo globo, como a Antártida e o Ártico, teriam grandes mudanças de temperatura. 

Um detalhe que não é tão “positivo” é que lugares que apresentam temperaturas muitos altas também receberiam esse calor a mais, o que poderia causar outras grandes dificuldades.

Outra hipótese é ainda mais grave

Uma segunda hipótese, em que Júpiter e sua órbita se aproximem do Sol, causaria uma situação ainda mais grave. Nesse cenário, a inclinação da Terra seria alterada e menos luz chegaria até o planeta. A consequência disso seriam temperaturas caindo, levando regiões para faixas abaixo de zero.

O site BGR comenta que esse estudo, apesar de dar mais notícias preocupantes que boas, vem em um momento conveniente. A NASA e outros grupos de pesquisadores tem se dedicado ainda mais para entender nosso universo, e as primeiras imagens produzidas pelo telescópio espacial James Webb deram um bom incentivo para tudo isso. Entre os muitos objetivos da ciência, estudos como este ajudam no processo de encontrar planetas habitáveis e entender mais sobre quais condições os planetas precisam atender para sustentar a vida.

Fonte: BGR