9925FC6F-31EE-4866-A5F3-DA218EDE54BC

C2DBBC10-15D7-4616-9257-F9C7A5D1036F

Um avião cargueiro de bandeira Brasileira pertencente à Varig, um Boeing 707-323C Prefixo PP-VLU, decolou do Aeroporto Internacional de Narita, em Tóquio, no Japão, às 20h23 do dia 30 de janeiro de 1979. O destino final era o Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro-Galeão, com uma escala nos Estados Unidos.

99A82F00-12A1-46E4-94E4-0D49A5A9F7B1

Vinte e dois minutos depois de decolar, o comandante Gilberto Araújo da Silva fez o primeiro contato com o controle de tráfego aéreo. Não havia qualquer problema a bordo. O segundo contato, previsto para as 21h23min, não chegou a ser feito.

O avião desapareceu sobre o Oceano Pacífico cerca de trinta minutos após sua decolagem em Tóquio. Nenhum sinal da queda, como destroços ou corpos, jamais foi encontrado. O voo de carga transportava, entre outros itens, 53 quadros do pintor Manabu Mabe, que voltavam de uma exposição no Japão. As pinturas foram avaliadas na época em mais de US$ 1,24 milhão. É conhecido por ser um dos maiores mistérios da história da aviação e um dos raríssimos voos civis comerciais que desapareceram , sem deixar vestígios. Em 2014 o voo MH370 da Malaysia Airlines com 227 passageiros e 12 tripulantes também desapareceu sem deixar vestígios de sua localização, como também nenhum passageiro encontrado, juntando-se aos misteriosos desaparecimentos aéreos.

Buscas foram iniciadas durante vários dias pelo serviço de busca e salvamento do Japão, a rota provável foi esmiuçada exaustivamente, nada achado, nem uma gota de óleo, destroços, simplesmente até hoje não se chegou a uma conclusão, após vários dias o Japão, desistiu de procurar, o governo japonês solicitou a todos os barcos , aviões e navios que passassem pela provável  área do desaparecimento, que procurassem algum vestígio, infelizmente até hoje nenhuma informação que solucionasse esse mistério.

A tripulação

34B57E0D-4A22-41F4-90CB-073F619A4898

– Comandante Gilberto Araújo da Silva
– Comandante Erni Peixoto Mylius atuando (Atuando    como 1º oficial)
– 2º oficial Antonio Brasileiro da Silva Neto (Atuando como 1º oficial)
– 2º oficial Evan Braga Saunders
– Engenheiro de Vôo José Severino Gusmão de Araújo
– Engenheiro de Vôo Nícola Exposito

O Comandante Gilberto

– Com seus 55 anos, suas 23 mil horas de vôo um curriculum impecável, o Comandante Gilberto Araújo era um dos melhores e mais experientes pilotos que a VARIG possuía.

O Número Sete e a Superstição 

O Comandante Gilberto Araújo, julgava que o número 7 estava em sua vida de alguma forma… E após o acidente em Orly, teria ele chamado um amigo e confidenciado que um risco sofrido por seus óculos formava o número 07. Coincidência ou não, as 2 aeronaves envolvidas em ambos acidentes tinham o número 7 no nome (Boeing 707). Outra coincidência ? O comandante Araújo era pai de sete filhos (O número 7 de novo…), e um deles, piloto.

Um dos raros casos mundiais que um piloto consegue voltar a voar após um grave acidente (Orly), onde 123 pessoas perderam suas vidas.

O comandante Gilberto Araújo da Silva, seis anos antes do seu desaparecimento fatídico, em 1973 realizou um pouso forçado na França (Próximo ao aeroporto de Orly, durante uma aproximação) administrando uma complicada situação para um piloto em vôo – O sempre temível incêndio à bordo.
O pouso forçado foi realizado numa plantação de cebolas, evitando assim a cidade, onde a tragédia assumiria proporções muito maiores. Ao avisar a torre sobre sua intenção, teria dito:
“- Já que vamos morrer, não vamos matar mais pessoas embaixo”.
Em seguida, aterrisaram numa plantação de cebolas, envenenados com fumaça dentro do cockipt e sem sequer poderem enxergar os instrumentos diante dos olhos.

866AFF72-251C-4DB3-B383-AD572A0A8B0B
Aeronave Acidentada Boeing 707 PP-VJZ
Nesta ocasião, 123 pessoas perderam a vida, não obstante a heróica tripulação ter conseguido pousar forçadamente o aparelho em chamas, que se arrastou por nada menos que 600 metros , até parar completamente e ficar totalmente destruído.
Investigações posteriores apontaram que um maldito cigarro aceso dentro do cesto de lixo de um dos toaletes pode ter sido o responsável pela tragédia e, os passageiros não mortos carbonizados, pereceram vítimas da fumaça altamente tóxica exalada pela queima das forrações internas da aeronave .

As Teorias da Conspiração 

0EE31BE4-0A91-4CC3-9A4C-CEE0E8D235C7

Os investigadores concluíram na época que a aeronave caiu no Oceano Pacífico aproximadamente 45 minutos após a decolagem devido a uma despressurização. Contudo, como sempre acontece nesses casos, várias teorias da conspiração foram formuladas para tentar explicar o sumiço do voo 967. Uma hipótese levantada foi a de sequestro a mando de colecionadores de arte, pois a aeronave transportava obras valiosas no porão.

Contudo, nenhum dos quadros apareceu até hoje. Outra teoria foi a de que o Boeing teria sido abatido pelos soviéticos por supostamente estar transportando um caça russo desmontado aos EUA ou, ainda, que, ao sobrevoar a costa da Rússia, o avião teria sido forçado a aterrissar e a tripulação foi assassinada. E, evidentemente, também existem as hipóteses de que a aeronave foi abduzida por extraterrestres ou atravessou um portal para outra dimensão.

CAD15B3B-B591-4610-9A6F-7EEE061F99BF

Entretanto, entre as teorias mais plausíveis está a de que, após o avião da Varig alcançar a altitude de cruzeiro, a despressurização da cabine teria sufocado a tripulação. Assim, eles teriam voado durante horas com o piloto automático até a aeronave ficar sem combustível e despencar em algum lugar muito distante das áreas nas quais as buscas foram conduzidas