Durante décadas se discutiu se a Inteligência Artificial poderia ou não se tornar consciente… Mas parece que a resposta chegou; Um cientista da OpenAI postou que já é.

A Inteligência Artificial já é consciente? A polêmica mensagem do principal cientista da OpenAI
Por meio de um tweet, Ilya Sutskever postou que a Inteligência Artificial já é autoconsciente. O que causou alvoroço entre especialistas e pessoas familiarizadas com o assunto.

Sutskever escreveu o seguinte:
“Pode ser que as grandes redes neurais de hoje sejam um pouco autoconscientes.”
Isso pode significar qualquer coisa, na verdade. No entanto, muitas pessoas começaram a atacá-lo quase imediatamente.

Uma das pessoas que se juntou ao ataque foi o pesquisador da UNSW Sydney AI University, Toby Walsh. Para ele, essa é uma questão que prejudica muito a evolução da IA.


“Sempre que esses comentários especulativos são transmitidos, são necessários meses de esforço para levar a conversa de volta às oportunidades e ameaças mais realistas representadas pela IA”.


O sociotecnólogo Jürgen Geuter também chamou essa visão de irreal. Ele comentou que isso pode não ter nenhuma base na realidade, e é apenas um discurso publicitário para reivindicar recursos tecnológicos “mágicos” para uma startup que executa estatísticas muito simples.

Leon Derczynski, professor associado da Universidade de TI de Copenhague, também concordou com Geuter.
“Pode ser que haja uma chaleira orbitando o Sol em algum lugar entre a Terra e Marte. Isso parece mais razoável do que as reflexões de Ilya, de fato, porque o aparato para órbita existe e temos boas definições de bules.”

É realmente apenas um exagero?
Apesar das críticas, essa reação é realmente justificada? Sim, Sutskever não apresentou provas até agora, mas ele não é o único que acredita que a Inteligência.

A teoria das máquinas inteligentes não é nova e, de fato, remonta ao decifrador de códigos britânico e pai da ciência da computação, Alan Turing. Em 1950, o cientista da computação surpreendeu o mundo ao se perguntar: “As máquinas podem pensar?”

Essa hipótese também tem sido debatida em diferentes mídias e culturas populares. De romances e filmes de ficção científica a podcasts com pessoas ligadas à computação, como Elon Musk.


Até Stephen Hawking se preocupou com o avanço da Inteligência Artificial e a possibilidade de que ela pudesse nos superar. Antes de sua morte, o teórico científico declarou:

“Uma vez que os humanos desenvolvam a inteligência artificial, ela decolará por conta própria e se redesenhará em um ritmo cada vez maior. O desenvolvimento de inteligência artificial completa pode significar o fim da raça humana.”

No momento, vemos como o mundo delega mais responsabilidades às máquinas e à Inteligência Artificial, a ponto de em alguns países, como a China, elas se encarregarem de “classificar” a população. Então, podemos estar entregando o mundo ao nosso principal perigo?

Elon Musk

Elon Musk, o CEO da Tesla e da SpaceX, fez um alerta para governantes e empresas de tecnologia sobre os perigos da inteligência artificial. Para o bilionário, o avanço da IA pode ser nocivo para a existência da humanidade e deve ser regulada o quanto antes.

Musk fez declarações sobre o assunto durante uma reunião da Associação Nacional de Governadores dos Estados Unidos. O visionário disse que as pessoas responsáveis devem começar a pensar em formas de regular e, diferente de outras indústrias tentar impedir possíveis problemas e falhas desde já.