O Grande Colisor de Hádrons (LHC) reiniciou nesta sexta-feira 23/04/2022, após um hiato de três anos, com o objetivo de resolver um problema científico sobre se uma anomalia misteriosa poderia sinalizar a existência de uma quinta força fundamental da natureza. Os cientistas esperam que as descobertas do passado sirvam para oferecer uma segunda descoberta altamente bem sucedida, mais de uma década após o bóson de Higgs.

Até agora, todas as descobertas do LHC, incluindo o Higgs, foram ajustadas ao chamado modelo padrão. Esta tem sido a teoria norteadora da física de partículas desde a década de 1970, mas é conhecida por estar incompleta porque não consegue explicar alguns dos mistérios mais profundos da física, como a natureza da matéria escura.

No entanto, os dados coletados no experimento LHCb, um dos quatro enormes detectores de partículas do CERN, localizado na Suíça, pareciam mostrar que as partículas se comportavam de uma maneira que não poderia ser explicada com o modelo padrão.

Antes do LHC fechar para uma atualização em 2018, a equipe coletou dados suficientes para sugerir que as chances eram de cerca de mil para um que o resultado ocorreu por acaso. No último ano, a expectativa aumentou com novas e intrigantes dicas de física além do modelo padrão visto em outros experimentos, incluindo as descobertas recentes e inexplicáveis de Fermilab nos EUA.

A terceira corrida, que deve durar até 2026, segue uma atualização que incluiu a instalação de ímãs poderosos adicionais projetados para comprimir os prótons dentro do colisor em feixes mais finos e mais densos. Isso aumentará a taxa de colisão de partículas dentro do acelerador, o que significa que os cientistas serão capazes de observar eventos mais raros com mais precisão. Mas tais experimentos poderiam provocar um incidente nunca antes visto na história.

Portais dimensionais

Especialistas na área alertam que o Grande Colisor de Hádrons abrirá um “portal para o inferno” como parte de uma agenda mais sinistra. Aparentemente, a Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (CERN) espera encontrar outras dimensões e abrir portais para essas dimensões.

Há uma importante seção do CERN que está localizada em Saint-Genis-Pouilly, uma comuna em um departamento da França. Nos tempos romanos, esta comuna era chamada de Apollokam, como a antiga cidade e o templo eram dedicados a Apolo, que também o anjo do poço sem fundo mencionado em Apocalipse 9:11.

Então, o CERN estará ativamente tentando abrir um portal para o reino espiritual onde os demônios estão, e o local que eles escolheram é literalmente no portão do poço sem fundo.

A Destruição da Terra

independentemente de a reiniciação do LHC pode abrir um portal para outra dimensão, há outros perigos para se estar ciente também. Como já discutimos antes, o Grande Colisor de Hádrons também é o acelerador de partículas mais poderoso do planeta. E isso o torna um perigo potencial não só para si ou para o seu ambiente imediato na Suíça, mas também para a Terra e talvez até para nossa própria realidade.

O famoso astrofísico britânico Lord Martin Rees, revelou em 2018 três maneiras pelas quais o colisor poderia causar um desastre de proporções cósmicas. Rees alertou para a possibilidade de que experimentos realizados no LHC formariam um buraco negro que absorveria tudo ao seu redor.

E se nenhum apocalipse ocorrer através de buracos negros, também é concebível que a Terra comprima em uma “esfera hiper densa de cerca de cem metros de diâmetro”. Isso pode acontecer por causa dos quarks subatômicos gerados pelo LHC, que colide partículas entre si em velocidades super altas.

Quarks poderiam ser remontados em partículas com nomes apropriados (e atualmente hipotéticos) chamados strangelets, que, por sua vez, poderiam transformar tudo em seu caminho em uma nova forma de matéria altamente compactada. Então a Terra não seria maior que um campo de futebol.

Infelizmente, há uma terceira via para um desastre inimaginável, Rees acredita que há uma possibilidade de que colisores possam causar uma catástrofe que engula o próprio espaço. O astrofísico britânico explicou que, ao contrário do que se poderia imaginar, o vácuo do espaço não está realmente cheio de nada além de vazio. O vácuo contém todas as forças e partículas que governam o mundo físico. E é possível que o vazio que podemos observar seja realmente frágil e instável.

O que isso significa é que quando um colisor cria energia concentrada por partículas colidindo, pode causar uma “transição de fase” que quebraria a estrutura do espaço. Isso seria uma calamidade cósmica, não apenas terrestre.

Como podemos ver, o fato de terem reiniciado o LHC é uma péssima notícia. Não há apenas a possibilidade de abrir um portal para outras realidades da existência onde eles podem habitar seres infernais, mas também poderia consumar alguns dos avisos de Lord Martin Rees, que em qualquer caso cumpriria as profecias citas no livro do Apocalipse.

Os experimentos do LHC abrirão um portal para outra dimensão? Ou talvez provoquem uma verdadeira catástrofe cósmica?